Queda de cabelo pós-parto e alterações hormonais: qual a relação?

Algumas mulheres podem sofrer com uma queda de cabelo pós-parto, o que é comum acontecer e pode estar relacionado com alterações hormonais depois da gravidez. Saiba porque ocorre esse quadro, também conhecido como eflúvio telógeno, e o que pode ser feito para amenizar a situação.

Por que ocorre a queda de cabelo pós-parto?

Cerca de três meses após a gestação, é possível que a mulher note uma queda de cabelos acentuada. Isso pode não ser indicativo de um problema de saúde ou de estresse por cuidar de um recém-nascido, mas sim uma consequência da alteração hormonal após o nascimento do bebê.

Durante a gravidez, a mulher sofre uma alteração grande na produção de hormônios. Um exemplo é a gonadotrofina coriônica humana, conhecida pela siga hCG, um dos primeiros cujo nível aumenta muito. É justamente esse hormônio que o teste de gravidez verifica e que pode dar a primeira confirmação de uma gestação a caminho. Há vários outros hormônios que também aumentam de produção, como progesterona, ocitocina e estrogênio. Mas, para entender a queda de cabelos pós-parto, é necessário saber como só um deles funciona, o estrogênio.

O corpo da mulher produz mais estrogênio durante a gestação, o que faz com que o cabelo permaneça na fase de crescimento e impede a perda de fios. Após a gravidez, os níveis desse hormônio diminuem, causando uma queda de cabelos pós-parto acumulada. É como se fosse uma ação retroativa, pois até 60% dos fios de cabelo que estavam na fase de crescimento podem entrar na fase de repouso – quando o cabelo se prepara para descansar e, eventualmente, cair.

Como saber se tenho uma queda de cabelo pós-parto?

A média de fios que as pessoas perdem diariamente é de cerca de 80. Mas, após o parto, o eflúvio telógeno pode causar a queda de 300 a 400 por dia. Você pode notar a perda após o banho, nas roupas, no travesseiro ou até mesmo achar fios na pele do seu bebê. É possível que o quadro de queda de cabelos pós-parto dure por alguns meses, mas isso é uma situação provisória, que termina sem um tratamento específico para combater a queda.

Se depois de alguns meses o quadro persistir, procure um especialista para um diagnóstico mais preciso, pois cada caso deve ser avaliado individualmente. Pois alguns outros fatores podem causar o eflúvio telógeno, tais como:

  • Estresse;
  • Traumas físicos (por causa de um acidente ou cirurgia, por exemplo);
  • Falta de nutrientes, como biotina e ferro;
  • Anemia;
  • Problemas na tireoide;
  • Desequilíbrios hormonais;
  • Tratamento para o câncer.

Preste atenção aos cabelos que caem em cima do seu bebê! Principalmente durante a amamentação, quando é mais fácil de um ou mais fios caírem na criança. Verifique se isso aconteceu e procure remover todo o cabelo que caiu nele, pois o recém-nascido pode, sem querer, enrolar o fio em algum dedo, braço ou perna e isso dificultar a circulação sanguínea, atuando como um torniquete.

Como tratar a queda de cabelos pós-parto?

A queda de cabelos pós-parto costuma ser temporária e deve deixar de ocorrer após alguns meses. Porém, se essa situação a incomodar, algumas medidas podem ajudar a atenuar esse quadro. Veja o que é possível fazer:

Cuidados diários com o cabelo – esqueça o secador ou a chapinha, pelo menos durante o período crítico da queda de cabelos pós-parto, e deixe os fios secarem naturalmente. Pentear com muita força também pode aumentar a quantidade de cabelo que cai. Então, busque escovar de maneira mais suave e, no máximo, uma vez ao dia.

Atenção aos shampoos e condicionadores – utilize produtos que proporcionam volume ao seu cabelo, como shampoos com proteínas que revestem o cabelo e dão uma aparência de ele estar mais cheio. Evite os “shampoos condicionadores” ou produtos que são intensivos, porque podem deixar seu cabelo mais pesado. Quanto aos condicionadores, aplique somente nas pontas, pois a utilização no couro cabeludo pode tornar o cabelo mais pesado também.

Alimentação – durante o período da queda de cabelos pós-parto, inclua frutas, vegetais e proteínas na dieta, pois são alimentos com vitaminas e nutrientes que ajudam a fortalecer o crescimento dos fios e amenizar a perda. Então, dê preferência para alimentos ricos em nutrientes como:

  • Ferro e vitamina C – encontrados em folhas verdes escuras;
  • Betacaroteno – boas fontes são a batata-doce e a cenoura, por exemplo;
  • Ômega-3 e magnésio – peixes são uma boa opção para encontrar esses nutrientes.

Suplementação – Algumas vitaminas que estimulam o crescimento capilar podem ser ingeridas por meio da suplementação para acelerar o processo de recuperação dos fios. Então, consulte um especialista para ele avaliar se a sua dieta é deficiente em algum nutriente em específico e quais vitaminas podem colaborar para melhorar o quadro de queda de cabelos pós-parto.

Todas essas medidas podem ajudar a amenizar um quadro de queda de cabelo pós-parto. No entanto, é importante estar atenta se a condição persistir por muito tempo, pois é possível que outros fatores sejam a causa do eflúvio telógeno. Nesse caso, também é importante consultar um especialista para que ele faça uma avaliação e indique o tratamento mais adequado para o seu caso.

Referências

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

OK